Dicas Сaseiras: "Meus animais comem terra, fezes e outras coisas, será que estão com vermes?"

Posted on

INTRODUÇÃO CID 10: A07.1 Giardíase Infecção pelo protozoário Giardia lamblia que atinge, principalmente, a porção superior do intestino delgado.

INTRODUÇÃO Agente etiológico - Giardia lamblia, protozoário flagelado que existe sob as formas de cisto e trofozoíto. O cisto é a forma infectante encontrada no ambiente. Direta: pela contaminação das mãos e consequente ingestão de cistos existentes em dejetos de pessoa infectada; Indireta: por meio da ingestão de água ou alimento contaminado. A disseminação extra-intestinal é raro.PATOGENIA a giardíase sintomática pode estar associada ao crescimento de bactérias aeróbicas elou anaeróbicas na porção proximal do intestino delgado. Infecções sintomáticas: Forma aguda com diarréia; Acompanhada de dor abdominal (enterite aguda) ou de natureza crônica, caracterizada por fezes amolecidas, com aspecto gorduroso; Fadiga,; Anorexia; Flatulência; Distensão abdominal. * São necessárias, pelo menos, 3 amostras de fezes para obter uma boa sensibilidade. O parasita não possui a forma de cisto, e não sobrevive bem no ambiente externo. Modo de transmissão: ingestão de alimentos ou água contaminados por fezes contendo cistos amebianos maduros; Raramente na transmissão sexual, devido a contato oral-anal. ; Os  Trofozoítos também podem ser passadas em fezes diarréicas, mas são rapidamente destruídos,  se ingeridos não iriam sobreviver exposição ao ambiente gástrico.

Por que pedir o exame de fezes ao veterinário?

  • O parasito pode viver livre no lúmen do intestino, realizando inclusive a reprodução assexuada e sexuada, levando à amplificação de sua população no hospedeiro (Figura 5).

*Em casos de infecção crônica podem invadir outros órgãos através da circulação sangüínea, especialmente o fígado, podendo infectar os pulmões e cérebro.

Entamoeba histolytica Entamoeba disparMORFOLOGIA CISTO Entamoeba histolytica Entamoeba dispar TROFOZOÍTO 58 MORFOLOGIA Entamoeba coli Trofozoíto Cisto = contendo oito núcleos 60 Exame Parasitológico das fezes (EPF): Tem como objetivo identificar trofozoítos ou cistos. kits EIA para detecção de antígenos nas fezes, detectam E. histolytica , mas não excluem E. dispar das infecções. Seus ovos Assemelham a um chapéu de mexicano e  podem sobreviver mais de 10 dias em um ambiente externo. Quando seus ovos são ingeridos por meio de água contaminada, alimentos, e mão contaminada por fezes, são levados até a mucosa intestinal se transformando em larva. Uma complicação peculiar dessa helmintose é a anemia perniciosa (anemia hipercrômica macrocítica), pois o parasito adulto tem a capacidade de absorver intensamente a vitamina B12 no intestino do hospedeiro. O diagnóstico consiste em observação dos ovos nas fezes do paciente. Pode também ser evidenciado edema alveolar; hiperplasia e hipertrofia da musculatura lisa bronquiolar; e alguns granulomas eosinofílicos em torno dos ovos e de larvas mortas.

“Meus animais comem terra, fezes e outras coisas, será que estão com vermes?”

  • Febre;
  • Cansaço;
  • Rash alérgico cutâneo (urticária);
  • Dores abdominais;
  • Sensação de enjoo, vómitos e/ou diarreia;
  • Obstrução abdominal;
  • Nervosismo.

Pode estar presente no pulmão, em sua fase intermediaria, o cisto hidático.

Veja como são os ovos de vermes no exame parasitológico de fezes (20%) vote POR QUE? Quando o médico solicita o EPF (Exame Parasitólogico de Fezes), ele está interessado em pesquisar a presença de vermes parasitas no nosso organismo, principalmente crianças. Se o exame der positivo, virá escrito o nome do verme encontrado, geralmente, encontram-se ovos ou cistos que significa presença do verme. Os ovos são capazes de sobreviver anos no chão húmido, onde podem germinar formando-se larvas que atingem o ser humano quando ele ingere os alimentos contaminados. As crianças não devem brincar em locais com condições sanitárias deficientes, em zonas em que as fezes humanas são usadas como fertilizantes. Os ovos que aí permanecem podem transformar-se em larvas que retornam ao intestino. O parasita pode colocar ovos na vagina ou uretra, pelo que o médico deve observar a mulher com sintomas de corrimento vaginal, cama molhada ou problemas urinários. Identifica-se a infestação pela presença dos parasitas brancos de cerca de 1 cm sobre as fezes e por vezes sem volta do ânus e ainda, pelo prurido anal. Como os parasitas morrem ao fim de 6 semanas, desde que não se ingiram de novo, ovos ou larvas, evita-se a reinfestação.

Exame Parasitológico de Fezes – Diagnóstico das verminoses

  • Epidemiologia
  • Saúde pública e Coletiva
  • Saneamento Básico Relação entre Saneamneto Básico e doenças parasitarias.

Assim, se as medidas de higiene forem mantidas durante 6 semanas pode quebrar-se o ciclo de reinfestação pela libertação dos oxiúros pelos intestinos.

Os ovos são ingeridos através dos alimentos e da água contaminados com fezes e eclodem nos intestinos. · A Saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, enão somente a ausência de doenças. ·  Os governos têm responsabilidade na saúde de suas populações, a qual somente pode ser cumprida pela adoção de medidas sanitárias e sociais adequadas. A infecção pode ser causada por parasitas encontrados em riachos e lagos, bem como no abastecimento municipal de água, piscinas, banheiras de hidromassagem e poços. A giardíase também pode ser transmitida através de alimentos e contato de pessoa para pessoa. A contaminação por estes parasitas se dá pela ingestão de seus ovos, geralmente encontrados no solo, água, alimentos contaminados e no contato com fezes humanas contaminadas. A pessoa adquire essa parasitose pela ingestão de água ou alimentos contaminados por cisto da ameba. Diarréia, dores abdominais e eliminação de sangue e muco junto com as fezes são características dos principais sintomas dessa doença. Saneamento básico adequado é o principal fator de prevenção da doença, visto que, evita que fezes humanas contaminem a água potável da região.

Diagnóstico e exames dos vermes nas fezes

A transmissão desse parasita se dá pela liberação de seus ovos através das fezes do homem infectado.

Em contato com a água, os ovos eclodem e liberam larvas que morrem se não encontrarem os caramujos para se alojar. Embora este mal costume ser muito mais perigoso quando ocorre em filhotes, os cães adultos também podem ser seriamente afetados por eles. São os seguintes: É um dos mais comuns entre os parasitas intestinais nos cães, ele surge depois do animal consumir diferentes tipos de larvas ou ovos de parasitas. Conhecido por muitos veterinários como tricocéfalos, estes parasitas habitam no intestino cego (grosso) dos cães e podem chegar a medir até 7 centímetros de comprimento. Trata-se de outra espécie de ancilóstomo, com a diferença de que este parasita é redondo, pode alcançar dois centímetros de comprimento e habita o intestino delgado. Os sintomas mais comuns do Dipylidium caninum são: Este parasita habita no intestino delgado do cão e é raro chegar a vê-lo totalmente. Em geral o cão costuma expulsá-lo em pedaços através de suas fezes, apresentando uma aparência seca, como pequenos grãos de arroz. Como ela entra no corpo humano: A pessoa ingere os cistos de Giardia presentes nas fezes de seres humanos portadores do parasita. Esta ingestão pode ser direta (através das mãos) ou consumindo alimentos ou água contaminada.

Qual é o tratamento para vermes nas fezes?

Doença causada pela Giardia Lamblia nos seres humanos A  Giardia Lamblia pode habitar o intestino humano Giardíase.

Sua transmissão é feita através da ingestão  de  ovos  infectantes  com  larvas  L3  junto  com  alimentos contaminados. Verme adulto de Ascaris lumbricoides Trichuris trichiura É um helminto fusiforme nemátode, possui sistema digestivo completo. Informações sobre os parasitas (características principais) Eles são considerados agressores, pois prejudicam o organismo hospedeiro através do parasitismo. O parasita é capaz de se reproduzir disseminando seus ovos, e estes, costumam infectar outros hospedeiros, dos quais eles retirarão seus meios de sobrevivência através do parasitismo. Transmissão de parasitas Eles podem ser transmitidos entre os seres humanos através do contato pessoal ou do uso de objetos pessoais. Podem também ser transmitidos através da água, alimentos, mãos sem a devida higienização, poeira, através do solo contaminado por larvas, por hospedeiros intermediários (moluscos) e por muitos outros meios. A transmissão ocorre, principalmente, através da ingestão de água e/ou alimentos contaminados com oocistos de Cryptosporidium. Este microrganismo representa grande importância em saúde pública, visto que os oocistos infectantes são altamente resistentes aos fatores ambientais, incluindo o cloro, largamente utilizado no tratamento de água de abastecimento. Os oocistos, de 4 a 5 µm, são ingeridos pelo homem através da água e dos alimentos contaminados.

Tratamento de sangue nas fezes

Estes podem realizar mais ciclos esquizogônicos ou passar para gametogonia (ciclo sexuado) levando à produção de oocistos, que são então eliminados nas fezes, contaminando o ambiente.

Os alimentos e água contaminados com oocistos são veículos de transmissão, considerando as condições de saneamento ambiental e a falta de hábitos de higiene. O oocisto esporulado é a forma infecciosa e pode ser ingerido através da água de bebida, alimentos e vegetais. O diagnóstico é feito através de visualização nas fezes (coloração para organismos álcool-ácido resistentes), métodos imunoenzimáticos e PCR. O Cryptosporidium passou pelo sistema de tratamento de água municipal, fazendo mais de 400.000 pessoas adoecerem. Porém, se for eliminado com fezes diarréicas este período pode se estender para acima de 72 horas. É um protozoário flagelados  que parasita o intestino dos mamíferos, inclusive de seres humanos. Possui duas formas, cisto e trofozoíto. Entre tais elementos, podem ser encontrados: fragmentos de alimentos, células vegetais, grãos de pólen, leucócitos, células de tecido animal, ácaros e seus ovos, e outros artefatos. Os itens citados podem dificultar tanto o exame macroscópico quanto o exame microscópico de fezes.

As amebas podem ser encontradas nas fezes ou contaminando a água.

Quanto aos flagelados, as amostras fecais contaminadas por urina podem conter “Trichomonas vaginalis” e a urina contaminada com fezes, “Trichomonas hominis”. Ciliados estão presentes na água estagnada, no esgoto e no solo, nas fezes contaminadas com água e solução salina, sendo que artefatos podem parecer com o “Balantidium coli”. Células de plantas, algas, grãos de pólen e conídios de fungos são vistos nas fezes, parecendo com os ovos de “Ascaris lumbricóides”, “Taenia spp.”, e outros. Infecções espúrias podem ocorrer quando o homem digere fígado de diferentes animais, digerindo os ovos livremente. Parasitas de fezes: preparação e conservação de fezes. Métodos de concentração: cistos e protozoários, oocistos, esporicistos de coccídeos, ovos e larvas de helmintos. Técnicas Quantitativas, contagem de ovos e fezes, contagem de ovos em urina e contagem de microfilárias.IV ? O parasito é transmitido pela água e alimentos contaminados com cistos e foi comprovado que viajantes podem contrair Giardíase quando em áreas endêmicas. TRANSMISSÃO A transmissão de Giardia lamblia de pessoa a pessoa ocorre por transferência dos cistos presentes nas fezes de um indivíduo infectado, através do mecanismo mão-boca. A transmissão ocorre quando há a ingestão de água contaminada com fezes contendo o cisto,  e com menor freqüência, por alimentos contaminados pelas fezes. CICLO BIOLÓGICO A infecção ocorre pela ingestão de cistos em água ou alimentos contaminados. No intestino delgado, os trofozoítos sofrem divisão binária e chegam à luz do intestino, onde ficam livres ou aderidos à mucosa intestinal, por mecanismo de sucção. A formação do cisto ocorre quando o parasita transita o cólon, e neste estágio os cistos são encontrados nas fezes (forma infectante). No ambiente podem sobreviver meses na água fria, através de sua espessa camada. Apesar da doença infectar todas as pessoas, crianças e mulheres grávidas podem ser mais susceptíveis a desidratação causada pela diarréia, portanto, deve-se administrar fluiodoterapia se necessário.