Remédios Caseiros: A diferença entre hospedeiro e parasita

Posted on

Parasito Acidental: são parasitas que acidentalmente vive em um hospedeiro que não é usual, por exemplo: parasita Dipylidium caninum.

Hospedeiro Definitivo: quando o parasita está abrigado em sua forma adulta ou em fase reprodutiva, onde ocorre reprodução sexuada. Relações parasito-hospedeiro Os parasitos que causam distúrbios no organismo podem fazê-lo: *Ação mecânica *Ação obstrutiva *Ação tóxica, devido aos produtos de seu metabolismo ou de algum simbionte associado ao parasito. Risco de infecção Educação e saúde Muitas doenças evitáveisdesconhecimento dos fatos básicos como a ignorância sobre os principais fatores de risco presentes no ambiente e como evitá-los. A transmissão e a persistência de uma parasitose em uma população humana resultam da interação entre o ecossistema e dois de seus componentes: o parasita e o hospedeiro. O ecossistema representa o conjunto de fatores em interação que permitem a ação do parasita no hospedeiro. Parasitas podem afetar diferentes tecidos e/ou órgãos do corpo do hospedeiro: A entrada do parasita no corpo do hospedeiro ocorre geralmente através da pele, de mucosas ou por via oral. Na penetração passiva, o parasita é levado por outros organismos, como insetos que, ao perfurarem a pele do hospedeiro ao se alimentar, podem introduzir parasitas trazidos de outro indivíduo. Três fatores, a clássica tríade epidemiológica das doenças parasitárias, são indispensáveis para que ocorra a infecção: as condições do hospedeiro, o parasito e o meio ambiente. Em relação ao hospedeiro os fatores predisponentes incluem: idade, estado nutricional, fatores genéticos, culturais, comportamentais e profissionais.

A diferença entre hospedeiro e parasita

  • definição de parasitas e hospedeiros
  • tipos de hospedeiros
  • relação entre saneamento ambiental e parasitoses
  • danos causados pelos parasitas
  • ciclo das principais parasitoses

As condições ambientais associadas aos fatores anteriores irão favorecer e definir a ocorrência de infecção e doença.

Os elementos básicos da cadeia de transmissão das infecções parasitárias são o hospedeiro, o agente infeccioso e o meio ambiente. Hospedeiro: Em uma cadeia de transmissão, o hospedeiro pode ser o homem ou um animal, sempre exposto ao parasito ou ao vetor transmissor. Meio ambiente: É o espaço constituído pelos fatores físicos, químicos e biológicos, cujo intermédio são influenciados o parasito e o hospedeiro. A resultante de todos estes fatores é que vai definir o papel que cada hospedeiro desempenha na cadeia trófica ou rede parasitária na qual ambos estão envolvidos. O parasita pode ou não causar doença no hospedeiro. Na área de concentração de Relações Antrópicas, Meio Ambiente e Parasitologia, temos como objetivos: - Compreender adaptações morfológicas, fisiológicas, nutricionais e comportamentais de sobrevivência do parasito no hospedeiro e eventualmente no ambiente externo; Todos estes fenômenos alteram a fisiologia do hospedeiro em grau maior (doença) ou menor ou determinam sua morte em curto ou longo prazo. LIGADOS AO HOSPEDEIRO (cerca de 4 fatores) 1.

Artigo de Mário Mariano, professor de Imunologia da USP, em que analisa as interações biológicas do parasito e do hospedeiro humano.

  • AÇÃO DOS PARASITAS SOBRE O HOSPEDEIRO

Algumas doenças causadas por parasitas ocorrem através de vetores, que são organismos que podem estar infectados com o parasita e que serão responsáveis por transmiti-lo ao hospedeiro final.

Isso ocorre uma vez que essas condições favorecem a multiplicação dos parasitas e dos vetores e tornam o hospedeiro mais suscetível à infecção. Além disso, os parasitos devem se dispersar através de um ambiente hostil para saltar de um hospedeiro para o outro. Muitos executam essa tarefa através de complexos ciclos de vida, os quais normalmente envolvem mais de um hospedeiro ou formas de resistência que passa pelo ambiente externo. Por outro lado, no ciclo polixeno os parasitos são adaptados a utilizar mais de uma espécie como hospedeiro. Na maioria dos casos um organismo (o hospedeiro) passa a constituir o meio ecológico onde vive o outro ( o parasito). A descoberta permitirá compreender melhor o ciclo do parasita e sua transmissão do hospedeiro natural ao homem. Existem muitas formas diferentes de parasitismo, no entanto, os mais conhecidos são os exemplos da relação interespecífica, em que o parasita retira nutrientes do hospedeiro causando-lhe prejuízos. Tênia parasitando intestino humano Endoparasitas - são os parasitas que se localizam dentro do corpo do hospedeiro sugando-lhe nutrientes e causando-lhe doenças. Contudo, o desequilíbrio desta interação pode ser provocado por inúmeros fatores, como a virulência dos isolados de patógenos, anergia ou hiperresponsividade do sistema imune dos hospedeiros.

Hospedeiro definitivo Hospedeiro intermediárioEspécie Humana Caramujo

  • métodos precisos de diagnóstico diretos e indiretos do parasito como forma de avaliar a sua potencial transmissibilidade;

Em geral, os distúrbios que ocorrem são de pequena monta, pois há uma tendência de haver um equilíbrio entre a ação do parasito e a capacidade de resistência do hospedeiro.

“A doença parasitária é um acidente que ocorre em consequência de um desequilíbrio entre hospedeiro e o parasito. “ Fatores genéticos do hospedeiro que influenciam na predisposição ou proteção à infecção por diversos agentes virais, bacterianos, fúngicos, protozoários e helmínticos. Vetor: É qualquer ser vivo que pode transmitir o parasita para um hospedeiro Agente etiológico: É o agente causador ou responsável pela origem da doença. Entre os parasitas, além daqueles que têm o homem como seu hospedeiro, há espécies que infestam outros animais. A doença parasitária é um acidente que ocorre em conseqüência de um desequilíbrio entre o hospedeiro e o parasito. humanos em face da influência de fatores do ambiente, incluindo ao agente etiológico, hospedeiro e meio ambiente, que influi Conceitos básicos Parasito Hospedeiro Vetor Ambiente 3 Esta relação ocorre quando o parasita (animal ou planta) retira nutrientes de outro ser e pode até levar a morte do hospedeiro com o passar do tempo.

Hospedeiro definitivo Hospedeiro intermediárioEspécie Humana Porco

O parasito, o hospedeiro e o meio ambiente são três fatores primordiais

provável correlação entre parasitas, hospedeiro e ambiente. Existem fatores que acabam conduzindo à parasitose e definindo seu destino. Resulta de fatores intrínsecos do hospedeiro, anatômicos ou fisiológicos; Se conseguirem sucesso, vão dispor de alimento pré-digerido pelo hospedeiro, um ambiente físico regulável e benigno. Os parasitas precisam se dispersar no ambiente para trocar de hospedeiro, e isso eles fazem através de ciclos de vida, alguns até muito complexos. Esses segmentos contendo ovos se desprendem e são liberados no ambiente juntamente com as fezes do hospedeiro. Em geral a infecção é assintomática, mas pode haver febre, náuseas, dor abdominal e prolapso retal (grave em crianças com grande número de parasitos). O hospedeiro intermediário(porco ou o próprio homem) ingere os ovos e desenvolve o cistecerco nos seus tecidos, principalmente o muscular. AÇÃO DOS PARASITAS SOBRE O HOSPEDEIRO Ação espoliativa: Quando o parasito absorve nutrientes ou mesmo sangue do hospedeiro.

• Os microrganismos lesam o tecido do hospedeiro por3 mecanismos:– Dano direto– Dano mediado por toxinas– Dano decorrente da resposta do hospedeiro

  • Hospedeiro - Meio Ambiente.

Pesquisadores brasileiros constataram que o material genético do parasita causador da doença de Chagas pode ser transferido para o genoma do hospedeiro. O hospedeiro pode ser chamado de intermediário quando os parasitos nele existentes se reproduzem de forma assexuada; e de definitivo quando os parasitos nele alojados se reproduzem de modo sexuado. Meio ambiente Meio ambiente é o espaço constituído pelos fatores físicos, químicos e biológicos, por cujo intermédio são influenciados o parasito e o hospedeiro. O homem é o principal hospedeiro definitivo e nele o parasita apresenta a forma adulta, reproduz-se sexuadamente. O ciclo biológico do S. mansoni depende da presença do hospedeiro intermediário no ambiente. Entretanto, alguns deles podem até levar o organismo à morte, neste caso, porém, o parasita irá morrer juntamente com o seu hospedeiro. São os que só conseguem sobreviver no ambiente proporcionando pelo hospedeiro, isto é, ás expensas, dele. O mesmo acontece com numerosos outros parasitos do homem e animais como por exemplo: as Taenias que necessitam de um ou mais de um hospedeiro para sua existência. Dentre os exemplos mais comuns e próximos do ser humano está o do piolho que é um parasita que se alimenta de sangue do seu hospedeiro. Parasito Obrigatório: Esse tipo de parasita não consegue sobreviver fora do hospedeiro, os vírus são um exemplo desse tipo. Ação Tóxica – Isso acontece quando os parasitas produzem substâncias tóxicas como enzimas, por exemplo, ou mesmo metabólitos que podem ser tóxicos e causar lesões ao seu hospedeiro. Anóxia – Esse tipo de ação acontece quando os parasitas consomem oxigênio presente nas hemoglobinas do hospedeiro, isso pode chegar a causar anemias. As palavras parasita e hospedeiro são comuns tanto para a compreensão de processos biológicos quanto para eventos da cultura popular e das relações sociais. Para finalmente entender qual a diferença entre parasita e hospedeiro, umComo.com.br fez esse artigo para você. A principal diferença entre hospedeiro e parasita é que o parasita é o consumidor do hospedeiro.